| |

Carro 100% elétrico custa em média R$ 230 mil. E o seguro?

Registro de carros elétricos nos Estados Unidos dobrou entre 2017 e 2018

Brasil – A onda dos carros 100% elétricos chegou ao Brasil. Pelo menos cinco modelos já são vendidos no país: BMW i3, Jaguar i-Pace, JAC ieV40, Renault Zoe e Nissan Leaf. Nos próximos meses, deve ser lançado o Bolt, da Chevrolet.Por enquanto, todos os carros são importados e custam, em média, 230 mil reais. O mais barato, o Renault Zoe, custa 150 mil reais. O mais caro, o Jaguar i-Pace, 437 mil reais.

Por serem tão valiosos, quem compra um carro 100% elétrico já encontra hoje seguro para os modelos? Específico, apenas um: o da Zurich, que começou a ser comercializado no mês passado em conjunto com o de carros híbridos. Outras seguradoras, por enquanto, aceitam o veículo na mesma categoria dos modelos que unem motor a combustão e elétrico. As empresas ainda analisam a possibilidade de oferecer uma proteção mais segmentada para o nicho.

E quanto o proprietário de um carro elétrico paga para ter o carro protegido? Por enquanto, bem menos do que em outros países, e até menos do que pagaria em um veículo flex do mesmo porte. Isso acontece porque as seguradoras precisam incentivar a adesão para criarem volume de dados e, somente então, colocar um preço de acordo com a média de sinistros. Portanto, quem resolver adquirir algum dos modelos agora encontra preços baixos.

Panorama

Priscilla Magni, superintendente de automóvel da Zurich, aponta que a experiência da seguradora na Europa, onde o segmento de carros elétricos já está consolidado, foi o gatilho para criar uma proteção específica para os modelos por aqui, um mercado com potencial, na visão da seguradora.

Ao lançar a proteção, a Zurich optou por praticar preços 20% menores do que praticaria em veículos a combustão do mesmo porte. Em países como a Inglaterra, por exemplo, os preços dos seguros de carros elétricos chegam a ser de 30% a 40% maiores do que os flex. Mas Priscilla pondera. “Lá fora, algumas marcas de elétricos registram uma alta sinistralidade e acabam distorcendo os dados. Aqui, como são poucos modelos, conseguimos precificar melhor”.

Na Mapfre e na Porto Seguro atualmente os carros 100% elétricos são tratados como modelos híbridos importados. Ou seja, a proteção de ambos tem o mesmo valor. Para Rogerio Hashimoto, superintendente técnico de automóvel da Mapfre, falta informação e volume sobre o segmento. “São cerca de mil carros. Portanto, estamos analisando como a proteção para esses modelos deve funcionar”. A seguradora já recebeu consultas sobre o Renault Zoe, e até agora não houve problemas no atendimento. “Foram casos de danos parciais e roubos, nos quais não há diferenciação entre os modelos”.

A Porto Seguro estima que terá uma proteção mais segmentada para os elétricos nos primeiros quatro meses do ano que vem. Jaime Soares, diretor da divisão de automóveis, acredita que os preços das proteções devem ficar entre 5% a 10% abaixo dos modelos convencionais, inicialmente. “Os carros ainda não têm atratividade para desmanches ilegais”.

Principais diferençasv=

Um dos problemas de proteções que não são específicas para o nicho são os procedimentos adotados no caso de descarregamento ou pane da bateria. Enquanto a proteção da Zurich leva um carregador de bateria até o local do sinistro, a Mapfre, por exemplo, ainda não sabe como atender esse cliente. “Atualmente, conseguimos oferecer um guincho para deslocar o carro até um ponto mais próximo de recarga. Mas sabemos que o mais cômodo para o cliente seria seguir viagem. Mas temos revendedores no Brasil todo para preparar como forma de oferecer esse atendimento”.

A Zurich ainda não tem uma ampla rede especializada, mas aponta que, ao menos nas principais cidades do país o proprietário do modelo encontra ao menos uma oficina com expertise em carros elétricos. A Porto Seguro ainda está na fase de capacitar cerca de 300 centros de sua rede credenciada para que se tornem pontos de recarga. Além de atender o segurado na estrada, o seguro da Zurich oferece um cabo de carregamento opcional para elétricos, diz Priscilla. “É a única cobertura adicional do modelo. Entendemos que geralmente o proprietário do carro vai realizar o carregamento em casa, e terá bastante autonomia para rodas com a bateria. Mas, em viagens, talvez ele precise carregar outro no carro, se sinta mais confortável”. Além da “pane seca” do elétrico, outro ponto de atenção que deixa todas as seguradoras sem saber direito o que fazer é um eventual problema na bateria que exija a sua troca. Isso porque o equipamento é caro. “Com o tempo, essa característica pode deixar o preço da franquia um pouco maior”, diz Soares, da Porto Seguro.

Para Hashimoto, da Mapfre, no futuro os serviços agregados para proprietários de carros elétricos, como carro reserva e assistência especializada, vão fazer diferença, e são eles que devem causar uma elevação no preço.

Levantamento

Na base da Comparaonline, o seguro do BMW i3 elétrico só é aceito pela Sompo e custa 21 mil reais. Segundo análise do comparador, geralmente carros de luxo têm restrições de aceitação nas seguradoras porque são modelos mais visados por criminosos. Já o seguro do Renault Zoe custa, em média, 5 mil reais. Quando se compara um modelo híbrido com um convencional do Fusion, da Ford, o convencional é cerca de 10% mais caro do que o híbrido, em média.

"Mutio mais notícias"

"Automático"

Dicas para dirigir bem um carro automático

"Não perca dinhero"

Trocar ou Vender: Dicas para evitar a depreciação do carro.

"Compre seguro"

Dicas para comprar um veículo seminovo

"Vender bem"

Dicas para vender o seu automóvel

:) Mais Dicas:

:) Escolhidas

Como comprar bem o auto seminovo

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação, o segmento de usados e seminovos está em alta Leiam

Recall

Toyota chama Hilux e SW4 para recall por problema nos air bags

Financiamento

Juros menores incentivam financiamento de carros.

Compare as taxas

Roubados

Os 03 carros mais roubados no Rio de Janeiro em 2017: Hyundai HB20:Nissan Versa:Fiat Grand Siena

Recall

Chevrolet faz recall de Onix, Prisma, Cobalt e Spin por risco de incêndio

Fiat Mobi 2019

Hoje, vendido por R$ 34.690, o Fiat Mobi Easy agora custa R$ 32.590, redução de R$ 2.100.Essa redução abriu espaço para a nova versão Easy Comfort. Custa R$ 35.690 e soma o ar-condicionado e as rodas aro 14, além das mesmas calotas da versão Like.

Alta de 70,73% nas vendas

Carros elétricos e híbridos têm alta de 70,73% nas vendas.

Regramento aprovado pela agência reduzirá incertezas e favorecerá investimentos do setor privado na infraestrutura de recarga de veículos.Carros elétricos: expectativa da Aneel é de que a propulsão elétrica alcance uma posição relevante no país nos próximos 10 anos. Leiam e saibam muito mais...Cliquem...!!!

ECONOMIA

Econômico, KWID tem a robustez de um SUV e o consumo de um compacto

O Renault KWID foi projetado para oferecer potência, mas sem deixar a economia de lado. O SUV dos compactos é equipado com um motor 1.0 SCe, que é mais leve e gera menos atrito interno. Sem correia, o propulsor de três cilindros e 12 válvulas garante o melhor consumo da categoria: até 15,2 km/l com gasolina e até 10,5 km/l com etanol – selo A de eficiência, segundo o Inmetro.Além da economia, o motorista que dirige um Renault KWID desfruta de muito conforto durante os trajetos. O amplo espaço interno e o design robusto, com extensor de para-lamas e a maior altura do solo do segmento, permitem encarar qualquer desafio com comodidade.Leiam como foi o lançamento

Personalizadas

Mais lidas:

Seminovo

Compre bem

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação,

SCOOTER-SH-150i-2017

Cliquem leiam mais notícias

Conheça o Scooter Honda SH 150i - Elegante do seu jeito.A partir de R$ 12.450.

Moto Honda

Leiam mais

O modelo traz pouco em itens de série, mas compensa com agilidade, robustez e economia....

VOLTAR TOPO