| |

Mercedes-Benz lança carro elétrico no Brasil

Porque é que ainda não dominam o mercado?

A Mercedes-Benz lançou em São Paulo o EQC, seu SUV totalmente elétrico e concorrente direto do Jaguar I-Pace.

Contudo, no mesmo evento em que a BMW anunciou o seu renovado foco nos carros elétricos, um dos seus executivos (Frohlich) disse:

Atualmente na Europa, as vendas de carros elétricos subiram 88% (Ano após ano), enquanto as vendas a gasolina subiram subiram 5%, híbridos desceram 5%, e finalmente os carros a gasóleo desceram 18%.

A mudança não tem sido natural… Parece ser movida por interesses.

A marca alemã não abriu a data exata ou o preço do novo carro no país. Um modelo foi trazido da Alemanha para treinar a assistência técnica no Brasil, o que sinaliza que o produto deve estar disponível em breve no mercado nacional.

Em Portugal, um EQC sai por aproximadamente 80 mil euros, mesma faixa de preço do I-Pace, que no Brasil está saindo por R$ 437 mil.

Globalmente, o carro concorre também com o Audi e-Tron e com o Tesla X. Já é sabido que a BMW também está preparando algo para este mercado.

É uma briga feroz no âmago de um mercado exclusivíssimo e diferenciadíssimo de carros de luxo tamanho família. Adicione-se que o carros elétricos são a última moda entre os ricos e famosos, e temos aí uma mistura explosiva, que pode levar uma montadora ao estrelato ou ao ocaso.

É o caso do Audi e-Tron que, apesar de ter gasto uma fortuna neste anúncio de gosto duvidoso no intervalo do Superbowl, não emplacou bons reviews da imprensa especializada e empacou nas vendas.

O carro da marca das quatro argolas falhou no projeto de engenharia e o resultado é um carro de não impressiona pela beleza, tampouco pelo desempenho. Uma preocupação à menos para seus concorrentes, portanto.

Já o EQC é um prodígio da engenharia. Ele faz de 0 a 100km/h em cinco segundos e sua bateria é capaz de rodar até 470 quilômetros antes de zerar por completo. Nada mal para um carro grande e gordo.

Além disso, a Mercedes inventou um recurso que une a conectividade automotiva com eficiência energética. Funciona assim: você está indo pela estrada e o carro percebe - por geolocalização - que existe um posto de recarga rápida mais à frente.

Presumindo que o motorista irá parar para reabastecer, o carro pré-aquece as baterias para que no momento da parada, o sistema esteja na temperatura ideal para uma recarga mais rápida. Genial.

O EQC é o primeiro da série EQ, prefixo criado pela Mercedes para seus elétricos. Para completar a família, são esperados o EQE, o EQX e o EQA, conhecidos hoje apenas como concept cars de feiras automotivas, mas que devem dar as caras até 2022, talvez antes.

MERCADO

Com o lançamento (bom, meio lançamento) da Mercedes Benz, o mercado brasileiro já conta com sete carros elétricos disponíveis e é possível começar a falar de uma linha de elétricos no país.

Meio ano atrás, o Brasil tinha apenas um modelo de carro elétrico à venda para o consumidor final.O BMW i3 foi o pioneiro. Na sequência, vieram o Renault Zoe, o Chevrolet Bolt e o Nissan Leaf, todos estes lançados durante o último Salão do Automóvel de São Paulo. Já as vendas do JAC IEV 40 começaram em abril deste ano.

Mas não está sendo fácil para os early adopters. O Zoe, mais barato entre os citados, parece um Sandero, mas custa R$ 150 mil, quase três vezes mais.

O Bolt e o Leaf, saem na faixa dos R$ 175 mil. Caso fossem movidos à gasolina, estariam na mesma categoria de Chevrolet Cruze, que é 65% mais barato. O JAC IEV 40 sai por R$ 153 mil e o BMW i3, por R$ 200 mil.

OTIMISMO

Os preços até agora reforçam um argumento que eu escuto com frequência: “carro elétrico é muito caro, não vai dar certo nunca”. Em 2011, quando os smartphones se popularizaram, eles custavam em US$ 348, em média. Hoje, custam US$ 214. Uma redução de 39% em menos de uma década. O mesmo fenômeno ocorreu com outros eletrônicos: rádio, TV, DVD e por aí vai. Podemos esperar o mesmo dos carros elétricos? Ao que tudo indica, sim.

As baterias são as grandes vilãs do preço. Estima-se que 40% do valor contido em um EV hoje estão nas baterias. A tecnologia do íon-lítio possibilitou o ressurgimento dos carros elétricos. Mas é, ao mesmo tempo, um fator limitante. Apesar de ser um elemento abundante, as reservas atuais não estavam preparadas para a demanda rampante. A Panasonic, fornecedora da Tesla, já mandou avisar que está tendo dificuldades em acompanhar o aumento da demanda.

No velho continente, quem mais investe na eletrificação de frota são os alemães, que já se deram conta do pepino que é depender da Ásia para o suprimento de acumuladores de energia.

Mas então, qual é a razão do meu otimismo?

Simples: inovação.

Por exemplo, duas startups, uma na Estônia e outra na Inglaterra, desenvolveram ultracapacitores que podem resolver o problema das baterias. Ultracapacitores não as substituem, mas atuam em conjunto, fazendo com que elas tenham um rendimento superior.

Além disso, já existem em fase experimental baterias de grafeno. Estas sim têm potencial para revolucionar o mercado, já que tudo indica que serão muito energéticas e potencialmente mais baratas que as atuais. Isso é apenas o que sabemos à luz do dia. Não só a indústria automobilística está em busca da bateria perfeita, mas também as empresas aeroespaciais, que estão de olho no mercado de drones de passageiros.

Voltando ao presente, é natural que de início somente os endinheirados se disponham a comprar um carro elétrico para se exibir para o vizinho. Toda novidade começa assim. Por outro lado, em algumas cidades, o veículo elétrico já é uma ação de saúde pública.

Assistimos pela TV a poluição de Xangai durante os jogos olímpicos. Por lá, a adoção de ônibus elétricos, ainda incipiente no Brasil, já é massiva, assim como em Shenzhen. Ainda não sabemos quando a eletrificação de frota tomará conta das ruas e dos postos de beira de estrada do Brasil. Pode ser em 2023, 2030 ou 2040.

Porém, é muito difícil acreditar que, depois de todas as montadoras estarem se preparando para a virada para o carro elétrico e depois do Acordo de Paris, ainda sigamos respirando carbono em excesso por mais um século.

"Mutio mais notícias"

"Automático"

Dicas para dirigir bem um carro automático

"Não perca dinhero"

Trocar ou Vender: Dicas para evitar a depreciação do carro.

"Compre seguro"

Dicas para comprar um veículo seminovo

"Vender bem"

Dicas para vender o seu automóvel

:) Mais Dicas:

:) Escolhidas

Como comprar bem o auto seminovo

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação, o segmento de usados e seminovos está em alta Leiam

Recall

Toyota chama Hilux e SW4 para recall por problema nos air bags

Financiamento

Juros menores incentivam financiamento de carros.

Compare as taxas

Roubados

Os 03 carros mais roubados no Rio de Janeiro em 2017: Hyundai HB20:Nissan Versa:Fiat Grand Siena

Recall

Chevrolet faz recall de Onix, Prisma, Cobalt e Spin por risco de incêndio

Fiat Mobi 2019

Hoje, vendido por R$ 34.690, o Fiat Mobi Easy agora custa R$ 32.590, redução de R$ 2.100.Essa redução abriu espaço para a nova versão Easy Comfort. Custa R$ 35.690 e soma o ar-condicionado e as rodas aro 14, além das mesmas calotas da versão Like.

Alta de 70,73% nas vendas

Carros elétricos e híbridos têm alta de 70,73% nas vendas.

Regramento aprovado pela agência reduzirá incertezas e favorecerá investimentos do setor privado na infraestrutura de recarga de veículos.Carros elétricos: expectativa da Aneel é de que a propulsão elétrica alcance uma posição relevante no país nos próximos 10 anos. Leiam e saibam muito mais...Cliquem...!!!

ECONOMIA

Econômico, KWID tem a robustez de um SUV e o consumo de um compacto

O Renault KWID foi projetado para oferecer potência, mas sem deixar a economia de lado. O SUV dos compactos é equipado com um motor 1.0 SCe, que é mais leve e gera menos atrito interno. Sem correia, o propulsor de três cilindros e 12 válvulas garante o melhor consumo da categoria: até 15,2 km/l com gasolina e até 10,5 km/l com etanol – selo A de eficiência, segundo o Inmetro.Além da economia, o motorista que dirige um Renault KWID desfruta de muito conforto durante os trajetos. O amplo espaço interno e o design robusto, com extensor de para-lamas e a maior altura do solo do segmento, permitem encarar qualquer desafio com comodidade.Leiam como foi o lançamento

Personalizadas

Mais lidas:

Seminovo

Compre bem

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação,

SCOOTER-SH-150i-2017

Cliquem leiam mais notícias

Conheça o Scooter Honda SH 150i - Elegante do seu jeito.A partir de R$ 12.450.

Moto Honda

Leiam mais

O modelo traz pouco em itens de série, mas compensa com agilidade, robustez e economia....

VOLTAR TOPO