NOTÍCIAS

Trocar ou Vender: Dicas para evitar a depreciação do carro

A pergunta que praticamente todos os brasileiros fazem: quando trocar ou vender seu carro? No entanto, não existe uma resposta acertada para essa questão. Trocar de carro não é uma ciência exata e, além de estar relacionada com vários fatores, depende ainda de muitos condicionantes externos. Algumas pessoas acreditam que trocar de dois em dois anos é a melhor opção, mas além de ser economicamente incomportável para a maioria, essa não é a melhor opção na maior parte das vezes. Isso deve-se à depreciação dos veículos nos seus primeiros anos e vida. Mal sai da concessionário e o carro já está a desvalorizar em cerca de 30 por centro. Essa desvalorização é maior nos dois primeiros anos e depois fixa-se num valor perto dos 10 por cento anuais nos anos seguintes, o que faz com que, por vezes, a depreciação de um carro com dez anos seja menor do que um com apenas dois. A exceção são os carros de luxo, porque a desvalorização é mais acentuada por ano. Isso justifica-se com os custos de manutenção mais elevados ou com o facto de as companhias de seguro se recusarem, muitas vezes, em assegurar carros importados com mais de 5 anos. Portanto, se tem um carro de luxo, a troca em apenas dois anos poderá ser mais acertada. Uma dica importante para resolver este dilema é consultar esta tabela do Carros na Web, em que, ao inserir alguns dados sobre o seu veículo (o preço de compra, o atual, o valor do seguro, etc.), lhe dá uma ideia do que fazer. Também o Exame.com elaborou um estudo muito interessante sobre se deve manter o carro por 5 ou 10 anos, o qual pode conferir aqui. Por isso, deixamos aqui algumas dicas e conselhos de evitar depreciação do seu veículo, para o ajudar na sua decisão. Na hora de comprar um veículo, muita gente considera diversos fatores para escolher, como preço, conforto, design, forma de pagamento, entre outros. Porém o fator depreciação muitas vezes acaba sendo esquecido, e na hora de revender o veículo surge uma surpresa, uma grande porcentagem do valor perdido. Por isso, antes mesmo de decidir pelo seu próximo veículo, é preciso levar esse fator em consideração. Para te ajudar, separamos algumas dicas que podem ser bastante úteis.
  • DICAS PARA EVITAR A DEPRECIAÇÃO DO CARRO
  • Confira o valor de revenda Pode parecer estranho, mas antes de comprar o carro se deve pensar por quanto ele poderá ser revendido. Faça uma pesquisa de mercado para conhecer o valor que está sendo pago por ele. Verificar a tabela FIPE poderá dar uma boa noção de preços. Uma busca por matérias que indicam os carros que mais e menor desvalorizam também podem ser bastante úteis. Evite designs antigos O design dos carros está sempre mudando. Antes, linhas retas e carros quadrados faziam sucesso, hoje, o conceito mudou muito. Aproveite e faça a cotação do seu seguro auto! Mesmo que o carro ainda esteja sendo comercializado, se ele não tiver um visual moderno, a tendência é que se deprecie rapidamente. Apesar dessa não ser uma regra para todos os modelos, deve ser levada em consideração. Fuja dos grandes descontos Se as revendedoras e montadoras estão oferecendo um desconto muito significativo para um modelo específico, ele pode ser problema. Apesar de ser bastante atrativo comprar um carro zero por um preço extremante baixo, na hora de revender as perdas poderão ser muito grandes. Essa redução de preços ocorre normalmente porque o veículo não tem saída e acaba ocupando os pátios. Para se “livrar” dele, acabam ocorrendo esses descontos, porém, depois ninguém mais quer comprar esses carros. Não escolha cores de forma aleatória Não é porque gosta de uma determinada cor que todos irão gostar. Mesmo que seja apaixonado pelo verde-limão, não é bom optar por essa cor no veículo. Veja como calcular o valor do seguro auto antes de comprar o seu veículo.  A maioria das pessoas ainda opta por cores mais tradicionais, como o preto e prata, sendo que as demais têm uma procura menor. Um carro de cor diferente quase não terá compradores, e para conseguir revender será preciso baixar bem o preço. Assim, mesmo que ele valha mais, o que acaba prevalecendo é a oferta de mercado. Compare os concorrentes Uma maneira de saber se a depreciação é muito grande é comparando o preço de revenda com os concorrentes. Faça uma análise com o veículo que deseja e seus principais concorrentes para saber qual é mais vantajoso. Mesmo que não tenha tanto interesse em um determinado modelo, ele pode se tornar mais interessante ao analisar esse fator. Mantenha o carro conservado Manter o veículo bem conservado, não apenas na parte mecânica e elétrica, mas também na aparência, ajuda a manter o valor. Quanto mais desgaste tiver o carro, e mais aparente isso for, menor será o preço pago por ele. Ter um cuidado rotineiro com o veículo vai ajudar na conservação e no preço. Mantenha peças originais e não faça modificações As modificações - como trocar o para-choques, rebaixar o carro, trocar as rodas, etc. - vão influenciar diretamente no seu preço. Quanto mais mudanças, menor será o valor pago. Além disso, ao fazer manutenções e substituição de peças, é preciso optar pelas originais. Usar peças genéricas faz com que se perca valor de mercado, uma vez que a eficiência pode não ser a mesma e aumentam os riscos de danos ao veículo. Não fique muito tempo com o carro No primeiro ano, um veículo tende a desvalorizar entre 15% e 20%. No segundo ano, esse percentual diminui para cerca de 8% e para 5% nos anos seguintes. Se não pretende sofrer muito com a depreciação, a dica é não ficar muito tempo com o veículo ou optar por um seminovo na compra.

    Página Principal

    Vitrine