| |

Compartilhar está notícia

Ambev terá 1,6 mil caminhões elétricos na distribuição de bebidas

A fabricante quer que 35% de sua frota seja movida a energia limpa nos próximos cinco anos.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus, com fábrica em Resende (RJ), anunciou na segunda-feira, 20, que a Ambev terá 1,6 mil caminhões elétricos na frota de distribuição das bebidas produzidas pela marca. Os veículos serão produzidos na fábrica de Resende (RJ) e entregues até 2023. Com isso, 35% dos veículos de distribuidores que prestam serviços para a cervejaria serão movidos a energia limpa.

Dona das marcas Skol, Brahma e Antarctica, a Ambev receberá a primeira unidade do e-Delivery, voltado a entregas urbanas, nos próximos meses. Por enquanto é um veículo de teste, que poderá receber alterações até o início da produção em escala, prevista para 2020.

Segundo Roberto Cortes, presidente da MAN Latin America, fabricante dos veículos pesados da Volkswagen, esse é primeiro caminhão leve 100% elétrico feito na América Latina. O veículo foi desenvolvido no Brasil, utilizando soluções mundiais. O projeto foi contemplado no investimento de R$ 1 bilhão que o grupo tem programado para o período de 2016 a 2021.

O executivo diz que o preço do produto não está definido, mas, inicialmente, será muito acima de um modelo a diesel, pois só a bateria, importada da China, tem hoje custo bastante elevado. “Com o aumento da produção, os custos certamente vão baixar”, diz Cortes, que já tem vários fornecedores locais de outros componentes. Ele acredita que, ao longo dos próximos anos, alguma empresa deva iniciar a produção de baterias localmente.

Para a Ambev, o uso em suas operações de caminhões elétricos, que não emitem poluentes e são silenciosos, fazem parte do seu compromisso de reduzir em 25% a emissão de carbono em toda sua cadeia de valor (logística e produção) nos próximos cinco anos.

“Temos certeza de que esse projeto contribuirá muito para a construção do legado sustentável que queremos deixar para as próximas gerações”, diz Guilherme Gaia, diretor de logística e suprimentos da Ambev.

A empresa atualmente é atendida por frota de 4,8 mil caminhões, que vão sendo renovados gradualmente. Para abastecer os veículos elétricos, promete usar apenas energia adquirida de fontes limpas, como eólica e solar.

O grupo também vai instalar painéis de geração de energia solar em seus centros de distribuição para abastecer os veículos. O caminhão tem autonomia para rodar até 200 km com a bateria carregada.

Coleta de lixo

Na segunda-feira, 20, a Corpus Saneamento e Obras, de Indaiatuba (SP), também disse que recebeu seis caminhões elétricos importados da fabricante chinesa BYD – os primeiros de um total de 200 que serão incorporados à frota usada na coleta e transporte de resíduos. Até dezembro chegarão mais 15 unidades. Outras 60 serão entregues em 2019, e as demais nos quatro anos seguintes.

Para entrar no Brasil, os veículos pagam 35% de imposto de importação e são isentos de IPI. A alíquota de ICMS é de 18%, enquanto o caminhão a diesel paga 12%. A filial da BYD estuda nacionalizar a produção em sua fábrica em Campinas (SP), onde já monta ônibus elétricos.

Mais caro

Um caminhão elétrico pode custar cerca de três vezes mais que um a diesel, valor que diminuirá com aumento de demanda. Parte do custo é compensada pelo menor gasto em manutenção, estimado em 40%. O elétrico tem 3,5 mil peças, e o a diesel tem 5 mil. O preço da energia também é inferior ao do diesel.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

"Mutio mais notícias"

"Automático"

Dicas para dirigir bem um carro automático

"Não perca dinhero"

Trocar ou Vender: Dicas para evitar a depreciação do carro.

"Compre seguro"

Dicas para comprar um veículo seminovo

"Vender bem"

Dicas para vender o seu automóvel

:) Mais Dicas:

:) Escolhidas

Como comprar bem o auto seminovo

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação, o segmento de usados e seminovos está em alta Leiam

Recall

Toyota chama Hilux e SW4 para recall por problema nos air bags

Financiamento

Juros menores incentivam financiamento de carros.

Compare as taxas

Roubados

Os 03 carros mais roubados no Rio de Janeiro em 2017: Hyundai HB20:Nissan Versa:Fiat Grand Siena

Recall

Chevrolet faz recall de Onix, Prisma, Cobalt e Spin por risco de incêndio

Fiat Mobi 2019

Hoje, vendido por R$ 34.690, o Fiat Mobi Easy agora custa R$ 32.590, redução de R$ 2.100.Essa redução abriu espaço para a nova versão Easy Comfort. Custa R$ 35.690 e soma o ar-condicionado e as rodas aro 14, além das mesmas calotas da versão Like.

Alta de 70,73% nas vendas

Carros elétricos e híbridos têm alta de 70,73% nas vendas.

Regramento aprovado pela agência reduzirá incertezas e favorecerá investimentos do setor privado na infraestrutura de recarga de veículos.Carros elétricos: expectativa da Aneel é de que a propulsão elétrica alcance uma posição relevante no país nos próximos 10 anos. Leiam e saibam muito mais...Cliquem...!!!

ECONOMIA

Econômico, KWID tem a robustez de um SUV e o consumo de um compacto

O Renault KWID foi projetado para oferecer potência, mas sem deixar a economia de lado. O SUV dos compactos é equipado com um motor 1.0 SCe, que é mais leve e gera menos atrito interno. Sem correia, o propulsor de três cilindros e 12 válvulas garante o melhor consumo da categoria: até 15,2 km/l com gasolina e até 10,5 km/l com etanol – selo A de eficiência, segundo o Inmetro.Além da economia, o motorista que dirige um Renault KWID desfruta de muito conforto durante os trajetos. O amplo espaço interno e o design robusto, com extensor de para-lamas e a maior altura do solo do segmento, permitem encarar qualquer desafio com comodidade.Leiam como foi o lançamento

Personalizadas

Mais lidas:

Seminovo

Compre bem

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação,

SCOOTER-SH-150i-2017

Cliquem leiam mais notícias

Conheça o Scooter Honda SH 150i - Elegante do seu jeito.A partir de R$ 12.450.

Moto Honda

Leiam mais

O modelo traz pouco em itens de série, mas compensa com agilidade, robustez e economia....

VOLTAR TOPO